Maçã envenenada…

Esta loucura desabrida, de um amor sem medida, que corrói a minha inocência, me dá volta à vida, deixa-me em estado de demência, desse amor que abriu falência, magoou e causou dor, deixou-me neste torpor, sem nenhuma displicência.

Era amor que me levava à loucura, na minha forma mais pura, de poder ser como sou, com carinho e com ternura, que o meu lado oculto te mostrou, a essência do meu ser, sem nada ter que esconder, que esse teu lado negro despertou, e nos rendeu ao prazer, até que sem esperar desmoronou.

Em tudo eras perfeito, sem juízos de valor, por que me querias como sou, e tudo de intenso que se passou, fazendo um sonho parecer, alimentando todo este meu querer, que a alma me serenava, me possuía e acalentava, toda uma esperança vã, de uma loucura sã, que acabou por morrer, sem sequer te chegar a ter.

E agora como te apago, foste veneno que bebi de um trago, por todo o corpo te disseminaste, a minha alma envenenaste, foste a maçã desejada, doce e de cores vivas pintada, mas depressa te cansaste, foste maçã envenenada.

Miss Kitty

Anúncios

Sã na minha loucura…

Sou sã na minha loucura, esta que me acompanha e perdura, que teimam em criticar, sem saberem o que passo julgar, e eu com toda a bravura, opto por tudo ignorar, pois se não julgo ninguém, não têm o direito de me julgar.

Gosto de ser como sou, dar-me como me dou, mostrar o melhor de mim, a quem me respeite enfim, sem dúvidas nem hesitar, com toda esta vontade de amar, de santa e pecadora, fera ferida e predadora, tão intensa e sedutora, na forma de me entregar.

E nesta loucura saudável, onde me permito viver, pode ser infindável, aos olhos dos outros condenável, vivo cada momento, agarro-me ao sentimento, um dia de cada vez, intensamente e com avidez, e entrego-me ao prazer da loucura, com paixão e com ternura mas sem nenhuma insensatez.

É assim como sou, a quem quero, e como quero, me dou, nesta minha sã loucura, faço da vida uma aventura.

Mesmo que…

Mesmo que as almas estejam separadas… São uma!
Mesmo que não me vejas… Sentes-me!
Mesmo que não me toques… Tens o meu perfume entranhado!
Mesmo que não me beijes… Tens o meu gosto!
Mesmo que a carne arda de desejo, pela ausência forçada… Os teus dedos são os meus!
Mesmo que a sede te corroa… Cada gota minha te sacia!
Mesmo que à distância o teu corpo grite e reclame pelo meu… Endeusas o meu como um culto, e sinto-o!
Mesmo que estejamos separados… Fazes de mim o teu lar!
Mesmo que seja impossível… Abrigo-te!
Mesmo que estejas longe… Estou sempre em ti!

Miss Kitty

Mulher… Porque hoje é o dia da mulher…

Mulher, Mãe, Amante… que destino tão errante! Entregas-te aos outros perdida, esquecendo a tua própria vida. Com essa vontade férrea de cuidar, mas, sem te aperceberes, consegues-te ignorar.
És a força da natureza, ser de tamanha beleza, carregas sonhos contigo – deixá-los, o teu castigo. Alheias-te do Viver, dos desejos e prazer, para os outros confortar e nunca nada lhes faltar.
Nunca te rendas nem baixes os braços, não te entregues aos teus cansaços, luta por tudo o que queres, ignora um pouco o que de ti deres, pensa na tua própria vida, com essa coragem desmedida, abraça o que de bom ela tiver e nunca te esqueças de ser Mulher!

Miss Kitty

Qualidades e Defeitos…

Quero-te…
Tal como és, com qualidades e defeitos, sem julgamentos nem críticas, o bom e o mau, o corpo e a alma.
Não queria este querer mas quero, porque há coisas que não têm explicação apenas se sentem…
Quero-te…
E quero que me queiras…
Quero que me queiras como nunca ninguém quis e me vejas como ninguém viu, como sou, pequena mas de alma grande, sem maquilhagem nem adornos, com curvas, sinais e rugas que começam a aparecer, mas totalmente eu, sem a máscara de viver e a defesa de sentir.
Quero que me queiras assim, frágil e forte, menina e mulher, sem reservas nem pudores, e com todas as minhas loucuras que oculto aos demais, esse meu lado mais sombrio do meu ser que faz parte de mim. Sei que não sou bonita nem tenho um corpo de modelo, mas é assim que sou, cheia de imperfeições e defeitos mas outras tantas qualidades, afinal, sou humana.
Quero que te percas em mim, que te seduza este meu ser tal como sou, que sintas desejo por mim, não só pelo aspecto mas por um todo, que te deseja também.
É assim que quero que me queiras…
Imperfeita mas eu…
E se não for assim, não te quero…

Miss Kitty

INSPIRAÇÃO… OU FALTA DELA

Quando as palavras aparentam esquecer-me,
Não me escrevo, ninguém me leria…
Bem tento, mas torna-se agonia.
Luto, mas acabo por perder-me.

Entre as perlongas de uma estrofe me oculto,
Em figuras de estilo me escondo,
Onde o mundo é quadrado e não redondo,
E me encontro nos silêncios sem indulto.

Nada é mais ridículo que estes versos,
Não sei o que escrever e escrevo-me,
Ridiculamente nas entrelinhas enlevo-me,
Idealizando pensamentos dispersos.

Milagrosamente voltam a lembrar-se de mim,
Escrevo letras que dançam em palavras,
Finda a dor, já não me escalavras!
A falta de inspiração tinha que ter um fim.

Miss Kitty

Era…

Era negra a solidão da madrugada escura,
Era a sede e a fome, e tu foste a fruta.
Era desejo de morrer e tu cicuta,
Era o desafio e a desolação, e tu foste a cura.

Era perdida e tu foste o meu caminho,
Era breu e tu candeia que me dava luz,
Era apaixonada e tu corpo que me seduz,
Era sóbria e tu inundaste-me com o teu vinho.

Era casa transparente de ausência que tu habitaste,
Era barco à deriva que tu levaste para porto seguro,
Era amor, que aos poucos tu tornaste obscuro,
Era eu finalmente, e tu descartaste-te…

E voltou a ser negra a solidão da madrugada escura…

Miss Kitty