Perco-me em ti…

Perco-me em ti, e nas palavras não ditas mas tão sentidas.
Perco-me no aroma condimentado, adocicado de travo ténue a canela e especiarias que o teu corpo exala e me inebria os sentidos. Continuar a ler “Perco-me em ti…”

Um dia…

Um dia vou escrever um texto perfeito.
Dos que ninguém encontrará defeito.
Todas as palavras tornar-se-ão magia.
Cores, aromas, sabores e sinestesia. Continuar a ler “Um dia…”

Café frio…

Adoro o cheiro a café acabado de fazer logo pela manhã…
É tão bom acordar e manter os olhos fechados aspirando esse aroma, na languidez de um despertar lento e sôfrego de sentidos. Continuar a ler “Café frio…”

Quente..

Quente…
Um calor que em mim ecoa.
Uma musica que o coração entoa.
Presa a palavras que se cravam na mente.
Tornando o desejo profundo e urgente.
Que me deixa rendida, à toa… Continuar a ler “Quente..”

Companhia Nocturna

COMPANHIA NOCTURNA…

Assusta-me o quanto te quero…
Mas gosto desse querer…
É um querer tão sincero…
Não quero sequer entender…

Continuar a ler “Companhia Nocturna”

Hoje não sou eu…

Hoje não sou eu…
Também tenho os meus momentos de insanidade controlada que me descontrola.
Perco-me de mim e saio à procura de outros toques, outros sabores e cheiros, outros corpos… Continuar a ler “Hoje não sou eu…”

Esta noite sou tua…

Esta noite sou tua…
Esta noite sou tudo o que sempre desejaste, o teu começo e o teu fim por te querer dar esse prazer e por te sentir tanto em mim. Continuar a ler “Esta noite sou tua…”

Queria…

Quero ser livre e sair de mim, poder gritar a plenos pulmões, para desvanecer ilusões, vestir uma segunda pele, mesmo que o corpo protele, não quero viver assim. Continuar a ler “Queria…”

Podia ser um fado…

Boa tarde…
Olhem para o que me havia de dar hoje…
Confesso que adorava que alguém compusesse uma musica para isto…

Podia ser um fado…

É tão triste este meu fado.
Toda esta enorme sina.
Que canto num grito abafado.
De mulher mas tão menina.

É tão triste a minha dor.
O viver nesta ilusão.
De um dia encontrar um amor.
Que me leve pela mão.

E é com tristeza que canto.
Os males da minha vida.
Que guardo num longo pranto.
Onde tudo é desencanto.
E não encontrar saída.

É tão triste o despertar.
E não te ter ao meu lado.
Seria um doce acordar.
Porém só imaginado.

É tão triste o não te ter.
Esta minha amarga dor.
De menina e mulher.
Que se rende ao amor.

E é com tristeza que canto.
Os males da minha vida.
Que guardo num longo pranto.
Onde tudo é desencanto.
E não encontrar saída.

Miss Kitty