Viagem prematura…

Era menina inocente, com sonhos na mente, e na sua inocência, pura e sem malícia, fazia magia e tornava o mundo uma delícia. Tudo era perfeito, a vida a seu jeito, de criança feliz, que fazia poesia dessa vida de fantasia e teve o que sempre quis.

A seu tempo cresceu, nesse mundo só seu, tornou-se mulher, de misteriosa sensualidade e a beleza da idade, uma poesia a interpretar, por quem a sabia amar. Gostava da vida, intensa e sentida, uma vida vivida, de fantasia e realidade, sentia-se realizada, era feliz de verdade, nesse sonho só seu, que desde menina cresceu.

Mas desse sonho acordou, tropeçou na realidade, de uma vida fria, e de sonhos vazia.

A menina inocente, da do sonho tão diferente, não fora poesia, cortaram-lhe as asas nem fizera magia. Na sua pureza, confrontada com a realidade, deixou-se levar com o imposto por não ter idade.

E nesse mundo onde cresceu, que em nada era o seu, tornou-se mulher que de poesia não tinha nada, não era amada, por todos rebaixada, ficou presa a uma vida, em nada sonhada, uma vida vazia, que de tanto se arrependia.

Tornou-se uma sombra, do que era de verdade, e o que mostrava não era a realidade, era o imposto, o que era suposto, o que queriam que fosse, ignorando o seu gosto. Nunca conseguiu ter a vida que queria, vestir a pele de viver, e fazer poesia, apenas existindo, num corpo tão belo, sensual e singelo, um corpo calado do prazer abandonado, de uma sensualidade que contraria a realidade, que ignorou o amor, por impossível ser, mas nunca perdeu a esperança de um dia o viver.

Mas não deixa de ser uma menina, mulher cheia de sonhos, que secretamente os escrevia em toda a sua poesia, na esperança que um dia se fizesse magia.

Miss Kitty

Sou Tua…


A pele implora…
O meu corpo pede…
Basta uma palavra…
E à tua vontade cede…
Amarras-me para não fugir…
Vendada atiças o desejo…
E a vontade de resistir…
Esvai-se com o toque e um beijo…
Provocas-me como gosto…
Percorres a minha pele nua…
Não controlo o meu gemido…
E sussurro ao ouvido “Sou tua”…
Paras tudo o que fazes…
Controlas o teu desejo…
E dizes baixinho “Amo-te”…
Seguido de um estrondoso beijo…
É a pele que se rende…
Numa alma que já se rendeu…
Neste corpo tão presente…
Que faz tudo para ser teu…

Miss Kitty

Sobra em ti…

Sobra em ti tudo o que me falta, tudo o que preciso e que o melhor de mim exalta, o desassossego que cativa e liberta, a Paz sentida que me dá tanta calma, o cheiro de flor madura e aberta, que me inebria e eleva a Alma e pouco a pouco a mente desperta. Continuar a ler “Sobra em ti…”

Será que é errado?

Será que é errado, este ser tão intensa, de coração condenado, sentimento julgado, sentido pela alma imensa, da distância banhado, de luz ensombrado, que à loucura me conduz, essa intensidade que me seduz, por todos vista como pecado. Continuar a ler “Será que é errado?”

Mesmo que…

Mesmo que as almas estejam separadas… São uma!
Mesmo que não me vejas… Sentes-me!
Mesmo que não me toques… Tens o meu perfume entranhado! Continuar a ler “Mesmo que…”

Escreve(me)…

Escreves em mim a sedução do desejo, letras de fogo rubras sem nenhum pejo, do profano e erótico querer, onde cada palavra é amor e prazer e cada frase se perde na madrugada que o tempo faz entardecer. Continuar a ler “Escreve(me)…”

Sei que me lês…

Sei que me lês…

Tentas resistir, tentas ignorar as reacções que te provoco e a forma acutilante como por vezes te toco nas feridas e consigo remexer cada pedaço de memória que queres esquecer. Continuar a ler “Sei que me lês…”

Tarde chuvosa…

Mais uma vez sozinha, deitada na chaise long, tão carregada de memórias de nós, e com os sentidos à flor da pele, nesta tarde chuvosa e fria, perfeita para te surpreender. Continuar a ler “Tarde chuvosa…”

Entrelinhas…

Quero cada curva, dessa pele que é tão tua, desse corpo perfeito, que ninguém pode pôr defeito, que me deixa a alma nua, e me acelera o peito, que é pedaço de mau caminho, neste jogo tão perigoso, tão deliciosamente caprichoso, e tento ganhar com jeitinho. Continuar a ler “Entrelinhas…”

Abandono…

Deixo de analisar, pensar no que sinto e tentar explicar, este desejo intenso que não posso ignorar, que sinto na pele teimosamente sem o teu tocar. Deixo o querer não te querer, sentimentos protelar, entrego-me ao ter, à vontade de te amar. Continuar a ler “Abandono…”

Possível impossível…

Ela era o sonho de um homem…
De cortar a respiração…
Beleza sem igual…
Do tamanho do seu coração… Continuar a ler “Possível impossível…”

Borboletas…

Hoje acordei assim, meio ensonada por não ter conseguido dormir tranquila, e invadida por aquela sensação de borboletas no estômago, que já não sentia há algum tempo. Continuar a ler “Borboletas…”

Curiosidade…

“As mulheres, assim como as cidades de guerra, têm, todas, um lado indefeso: trata-se apenas de procurá-lo.”
Marquês de Sade

E vocês, quais são as vossa fraquezas, que vos deixa indefesos???

Miss Kitty (em modo curiosa…)

Finalmente…

Será hoje o dia que nos vamos conhecer, a medo, depois de tantos encontros adiados por receio das nossas reacções e desejos, finalmente será hoje o dia. Continuar a ler “Finalmente…”

Sinto-te…

Escrevo como te sinto…
Sinto-te em mim, sem me tocares e, não precisamos de dizer nada, pois basta um olhar, para sabermos como e quanto nos queremos e precisamos um do outro. Não temos palavras que expressem esse sentimento mas conversamos tanto… Continuar a ler “Sinto-te…”

Mundo oculto…

Há qualquer coisa neste sítio que me atrai, tanto na imponência como no mistério que carrega por entre os muros cobertos de trepadeiras que parecem separar dois mundos, o que mostro e o que oculto, a minha essência, à qual não consigo resistir e me rendo. Continuar a ler “Mundo oculto…”