LY ! ❤

“Toda mulher antes de ser dominada precisa ser Seduzida… Antes de tocar em sua pele, é preciso tocar seu coração… Antes de beijar sua boca, precisa sentir sua alma…Toda mulher só precisa ser AMADA.”

James Hernande

Anúncios

Respiro-te…

Respiro-te…

Respiro o teu silêncio, encanto-me com a tua voz, num desejo que se tornou atroz, de sentir na ponta dos dedos, os lábios que revelam segredos, a pele que com a minha comunica e o desejo que se intensifica.

Respiro cada momento, simples mas cheio de sentimento, cada palavra que escreves, não dizes pois não te atreves, mas leio-as nas entrelinhas, tão tuas mas no fundo muito minhas, neste meu querer tão sentido, onde nada é falso ou fingido.

Respiro a cor do teu olhar, o perfume do teu tocar, as palavras cheias de magia, que parecem feitiçaria, me envolvem e me encantam, e amiúde me espantam, num casamento perfeito, entre corpo, Alma e esse teu jeito, que me seduz e cativa, prende mas liberta e de nada me priva.

Respiro o tamanho do espaço, que um dia foi de cansaço, entre os teu lábios e os meus, que mesmo longe se tornaram teus, hoje voltaram ter vida, lentamente sarou uma ferida, com esta forma de te respirar, sem a qual não faria sentido amar.

Miss Kitty

Será que é errado?

Será que é errado, este ser tão intensa, de coração condenado, sentimento julgado, sentido pela alma imensa, da distância banhado, de luz ensombrado, que à loucura me conduz, essa intensidade que me seduz, por todos vista como pecado.

Será que é errado, todo este meu querer, e o nada ter, que tudo contraria, me deixa tão vazia, em profunda apatia, pela falta que me faz, a intensidade que me apraz, que me devolve a vida, a alma perdida, me restitui de cores, sentidos e sabores, de uma vida vivida, sem cicatrizes nem dores.

Será que é errado, todo este sentir, este querer ser amada, sentir-me desejada, com sinceridade, e tranquilidade, e não ser usada, quando não precisa descartada, ficando vazia, sem luz no meu dia, e tão acorrentada, restando este sonho que me guia.

Se ser eu é errado, eu quero errar, votar-me ao pecado, vivê-lo desmesurado, entregar-me ao amar, julguem o que quiserem julgar.

Miss Kitty

Espreita…

Abro-te a porta do meu escrever e tu espreitas receosamente por entre as letras, para dentro das estrofes, com temor que elas te leiam a ti, que sejam um espelho da tua essência e te exponham ao mundo, mesmo que ninguém se aperceba desse teu segredo íntimo que te aprisiona, esse que te faz vibrar e sentir vivo.
Sem querer, desperto-te todos os sentidos quando te perdes nas curvas sensuais das letras que não escrevo, nas entrelinhas, e por momentos és livre. Sentes-te…
És tu na mais pura essência, sem máscaras, nem filtros de beleza instantânea mas tão efémera, és simplesmente, e sentes-te, como se algo inexplicável te tivesse atingido à traição e provocado reacções inesperadas, quando perdido na sensualidade das letras te consegues libertar.
São rimas imperfeitas que te envolvem e afagam a alma num abraço que queres que seja interminável, e estrofes que te tocam atrevidamente no mais íntimo do teu ser provocando onomatopeias de prazer.
Não receies… e espreita.
Porque os poemas lêem-nos e por vezes são espelhos de quem os lê, que reflectem tudo o que não mostramos.
Agora…
Agora vou escrever-te um poema!

Miss Kitty

Fé!

Tinha fé…
Acreditava que existia algo superior que tentava ordenar o caos da vida, por vezes não da melhor forma, talvez como castigo ou para servir de ensinamento, mas há muito que deixara de ter fé na humanidade.
Algo o impeliu para entrar naquela igreja, escura, sombria e fria. De repente viu-se rodeado frescos onde os anjos e demónios ladeavam santos, carregados de simbologia, mas que a ele não diziam nada, não passavam de ícones criados pelo homem a tentar explicar o inexplicável, e de pessoas que fervorosamente rezavam, na esperança vã de obterem milagres, mas ele não rezava.
Simplesmente ali estava, sentia-se em paz na “casa de deus”, coisa que não acontecia no mundo dos homens onde tudo era superficial e frio, tudo e todos se moviam por interesse ao invés do que deveriam ser as relações humanas. Era um mundo fútil, desinteressado, onde até o amor tinha virado um negócio, um contrato sem termo que num estalar de dedos pode ser rescindido quando deixa de ter interesse, sem valorizar os sentimentos.
Mas ele não era assim, amava incondicionalmente e sem subterfúgios, e vivia na esperança de encontrar alguém como ele que soubesse amar de corpo e alma e que o engrandecesse. Esse sentimento agigantava-se de dia para dia e cada vez se sentia mais perto de o alcançar, enquanto isso ali permanecia imóvel, como se estivesse invisivelmente pressionado a fazê-lo, como se algo o prendesse.
De repente decide partir, levanta-se rapidamente como se fugisse de algo e ao virar-se esbarra com ela. De olhos nos olhos, e corpos que acidentalmente se tocavam, o milagre aconteceu, apesar de não crer em milagres.
Inexplicavelmente tudo passou a fazer sentido e a dar-lhe um sentido à vida, o do amor que tanto desejava. Nunca mais se separaram.
E continuava a ter fé, mas não rezava…

Miss Kitty

Quero — Baltasar Sete-Sóis

Quero voltar a ser minha e quero voltar a ser casa onde adormeço as geladas e agitadas noites que trago dentro de mim. Cansei-me de chorar, de implorar a teus pés pelo teu amor. Atirei fora quem era para me subjugar à tua vontade, destruindo aquele amor próprio que não pretendias que fosse maior do […]

via Quero — Baltasar Sete-Sóis

MAGOADA!

Deixam-me em pedaços…
De tão magoada…
E a alma tão ferida…
Da vida cansada…
Atitudes que doem…
Palavras não escritas…
Uma ansiedade crescente…
De quando forem ditas…
Dói-me a alma…
Gela-me o coração…
Porque tinha que me apaixonar…
Por uma mera ilusão…
Sentir o que não quero…
E está tatuado em mim…
Não consigo ignorar…
Este sentir assim…
E o sorriso nos lábios…
Que uma lágrima disfarça…
Cala-me as palavras…
Que o destino traça…

Miss Kitty